Home

Pássaros da Região

Pássaros da Região

Carlos Eduardo Blanco, dentista, 57 anos, observador de pássaros há 20 anos. Inicialmente fotografava aves como hobby e hoje é guia de turmas de biólogos e turistas pelo Sertão de Mambucada, em Angra dos Reis.
Na última década, ele passou a frequentar trilhas do Parque Mambucaba, distante 60 km do Centro de Angra e 40 km de Paraty, onde costuma registrar belos pássaros.
Já deu sorte de flagrar espécies raras como o socó-boi-escuro.
A certeza de que esta era uma foto especial veio rapidamente, com a ajuda da internet. O dentista faz parte do grupo de colaboradores do site Wikiaves — que oferece imagens, informações, como os locais de ocorrência de cada espécie, e até mesmo o som que as aves emitem. O site costuma ser visitado por muitos especialistas. Quando viram o flagrante de Blanco, eles revelaram sua importância histórica e ambiental: este foi o segundo registro da espécie no estado do Rio, sendo o primeiro em Angra dos Reis.

Passeios Guiados
Carlos Eduardo é nosso colaborador e tem parceria com o Hotel do Bosque que geralmente recebe a turma de aventureiros e apaixonados por aves.
Os passeios guiados são reservados diretamente com Carlos pelo telefone (24) 98119-9730, combinando horários e locais para saídas e retornos dos passeios.
Além dos grupos específicos de observadores de pássaros nossos hóspedes também têm a opção de usufruir de um passeio tão interessante integrando à natureza local e conhecendo as maravilhas da mata atlântica em Angra dos Reis. #Ficaadica

Pássaros da Região

Gavião-pato

Gavião de aspecto robusto e plumagem branca com o dorso e asas negros.
Vive solitário na borda de matas extensas e preservadas, sendo visto geralmente em voo a grandes alturas.
Ameaçado de extinção no Rio de Janeiro.

 

 

Gavião-pombo-pequeno

Gavião branco semelhante ao gavião-pombo-grande, diferenciando-se pela faixa negra no final da cauda e pelo porte pequeno.
Habita áreas florestais e costuma pousar à média altura no interior da mata.
Ameaçado de extinção.

 

Cuiú-cuiú

Psitacídeo verde com o alto da cabeça vermelho (macho).
Fêmea toda verde, podendo lembrar o periquito-rico, mas de aspecto mais robusto e cauda mais curta.
Vivem em pequenos bandos nas copas da mata de encosta.
Provavelmente ameaçado de extinção no Rio de Janeiro.

 

Caburé

Pequena coruja marrom, sem “orelhas” e com o alto da cabeça estriado.
Mais fácil de ser observada por ser ativa também durante o dia.
Habita a borda da mata e capoeiras.
Frequentemente é atacada por outras aves(“mobbing”), como uma resposta antipredatória.

 

Marreca-caneleira

Marreca facilmente identificada pela coloração marrom acanelada, com as asas mais escuras.
Vive em grupos, por vezes numerosos, e ocasionalmente em companhia de outras espécies de marrecas.
Habita lagos, lagoas e campos inundados.
Incomum no estado do Rio de Janeiro onde tem sido considerada uma espécie ameaçada.

 

Pato-do-mato

Pato escuro, com brilho esverdeado na plumagem e extensa área branca nas asas, bem visível no voo.
Encontrado solitário, aos casais ou em pequenos grupos familiares em áreas alagadas adjacentes à mata.
Empoleira-se em galhos altos nas árvores para descansar e dormir.
Mais observado na baixada, é considerado ameaçado de extinção no estado do Rio de Janeiro.

 

Murucututu-de-barriga-amarela

Corujão sem “orelhas”, dorso escuro, barriga e larga sobrancelha amareladas. Habita a mata, sendo mais ouvida do que vista.
A vocalização do casal em dueto é facilmente reconhecível, com a vo do macho em tom mais grave.

 

 

Jaçanã

Ave paludícola fácil de ser observada, frequentemente caminhando sobre a vegetação flutuante de áreas alagadas.

 

 

 

Acauã

Fácil de identificar pela cabeça grande e máscara escura sobre os olhos formando um colar na nuca.
Bastante barulhento quando vocaliza.
Pode ser observado pousado por longo período em árvores  ou postes em áreas abertas.
É comum o casal realizar um dueto. Habita bordas de mata, campos de cultura e beiras de rios. Vem expandindo sua área de distribuição com a substituição de florestas fechadas por ambientes abertos.

Azulão

Conhecido pássaro, de coloração azul-escura, com a fronte, sobrancelha e coberteiras das asas mais claras (macho).
Fêmea e imaturos castanhos. É uma espécie bastante procurada como ave de gaiola, escasseando, por isso, em muitas regiões.
Vive aos casais, a pouca altura, pousando em galhos expostos para cantar.
O habitat é a borda da mata, capoeiras e brejos. Ameaçado de extinção no Rio de Janeiro.

Martim-pescador-grande

É o maior martim pescador do Brasil. Azul-acinzentado, peito e barriga castanhos (macho).
As fêmeas possuem uma faixa cinzenta cruzando o peito. Observado solitário ou em pares, pousado próximo à água em locais expostos.
Frequentemente sobrevoa a água vocalizando, o que chama a atenção.
Habita áreas próximas a lagos, lagoas, maguezais e grandes rios.

As mídias publicadas no link Pássaros da Região estão protegidas pela Lei de Direito Autoral (nº 9610/98), é proibida a cópia e a reprodução sem autorização expressa do autor.